• Cabos Y. Loop-thru e sinal paralelo

    Para obter uma ou mais cópias de um sinal (por exemplo, para distribuir o sinal de um mixer para várias caixas auto-alimentadas ou amplificadores de potência), usamos conexões paralelas. Para isso, basta conectar cada terminal (pino) dos conectores em paralelo. Ou seja, o 1 com o 1, o 2 com o 2 e o 3 com o 3. Quando dividimos um sinal em dois desta forma, geralmente falamos de um cabo ou conexão em "Y", já que a divisão de um sinal em dois tem esta forma. Ao contrário do que possa parecer, um cabo em "Y" não é um trabalho em falha, mas uma forma correta de dividir o sinal. Na verdade, quando encontramos um conector de entrada e um conector de loop em uma caixa autoalimentada ou no mesmo canal de um amplificador de potência, ambos são simplesmente paralelos.

    Na ilustração a seguir podemos ver uma conexão esquemática "Y" de uma saída XLR balanceada a duas entradas XLR balanceadas:



    Na ilustração a seguir podemos ver uma conexão do que seria um cabo em "Y" com a conexão anterior:


    Da mesma forma, podemos fazê-lo a partir de um conector balanceado de 1/4" (o conector jack) (TRS, tip-ring-sleeve) colocando cada um dos terminais em paralelo. A ponta (tip) com a ponta, o anel (ring) com o anel e a malha (sleeve) com a malha:


    Isto pode ser feito tanto com conectores balanceados como não balanceados. Continuamos a conectar simplesmente pino a pino. A seguir podemos ver como seria com um conector 1/4" não balanceado e RCA (Cinch, Phono):



    Para dividir o sinal em mais de uma cópia, podemos usar um "rabo de porco" (pigtail) no qual colocamos conectores de entrada paralelos unindo pino a pino com um pequeno pedaço de cabo:

    Limites

    Não é possível fazer um número infinito de conexões paralelas. O número máximo de vezes que um sinal pode ser dividido é determinado pela impedância de saída do mixer (ou outro dispositivo a partir do qual o sinal é emitido) e pela impedância de entrada do amplificador de potência (ou outro dispositivo para o qual as cópias dos sinais chegam). A recomendação mais comum para evitar a degradação da resposta de freqüência é manter a impedância de entrada total (Zin.total) pelo menos dez vezes maior do que a impedância de saída.

    Zin.total > 10*Zout

    A impedância total de entrada é simplesmente a de uma entrada (Zin) dividida pelo número de cópias que tomamos do sinal (seguindo o cálculo da impedância paralela, já que não estamos fazendo mais nada além de colocar as entradas em paralelo):

    Zin
    Zin.total = -----
    N

    E, portanto, o número máximo de divisões (Nmax) de sinal é dado por:

    Zin
    Nmax = -----
    10*Zout

    Por exemplo, para amplificadores de potência com entrada de 20k (20000) ohms e um mixer com impedância de saída de 150 ohms, o número máximo de divisões de sinal que pode ser feito é

    20000
    Nmax = ----- = 13'333
    10*150

    Assim, neste caso, poderíamos obter até 13 cópias do sinal. As mesas de som e outros dispositivos high-end geralmente têm impedâncias de saída menores, de modo que geralmente podemos dividir o sinal mais vezes com equipamentos high-end.

    Outro paralelo. Amplificadores e caixas amplificada

    Estas regras sobre o número de cópias que podem ser feitas de um sinal são cumpridas tanto para um cabo "Y" ou um "rabo de porco" (pigtail) quanto para as divisões de sinal que são feitas com as conexões de jumper do equipamento.

    Geralmente, as caixas amplificadas têm um conector de entrada e um conector de saída (que podem ser rotuladas na impressão em tela de diferentes maneiras como "output", "thru" ou "link"), que são na maioria dos casos (pode haver poucas exceções quando a saída está ativa) a mesma conexão, uma vez que são conectadas pino a pino. Portanto, quando conectamos (loop) de uma caixa a outra, o que estamos fazendo é colocar várias entradas em paralelo. Neste caso, o Nmax corresponderia ao número de caixas.

    Embora seja usual que os amplificadores tenham um interruptor "paralelo" que coloca um par de entradas em paralelo internamente, se faltar esta funcionalidade ou se quisermos levar o sinal para outra unidade, nos amplificadores também usamos os paralelos. Por exemplo:


    • Em um amplificador de baixa potência com apenas um conector de entrada por canal, podemos usar um "cabo Y" se quisermos que dois canais compartilhem o mesmo sinal.
    • Em um amplificador de médio alcance é comum encontrar um conector de entrada e um conector de saída para cada canal, ou dois conectores de entrada com conectores diferentes (por exemplo, uma entrada XLR e outra com um conector jack de 1/4"). Neste caso, usaremos um cabo curto para passar o sinal de um canal para outro. Em amplificadores de maior alcance, geralmente há um interruptor para dividir o sinal de entrada para os dois canais do amplificador, portanto não é necessário fazer isso com um cabo externo.
    • Também podemos usar um cabo para ligar o sinal de um amplificador a outro, caso em que Nmax é o número de amplificadores. Da mesma forma, os racks de amplificadores geralmente têm conectores de loop para passar o sinal de um rack para outro. Neste caso, temos que levar em conta o número total de canais de amplificação em todos os racks, sendo este número nosso Nmax.

    Deve ser feito um aviso com relação à divisão do sinal com conexões paralelas. Se ocorrer um curto-circuito em uma conexão, ele afetará todos os equipamentos conectados em paralelo. Portanto, embora a probabilidade de um curto-circuito seja baixa, uma alternativa para fazer a ponte entre muitos sistemas em paralelo seria usar um amplificador de distribuição.

    E ao contrário? Mixer passivo

    Não use o inverso de um "cabo Y" para adicionar dois sinais em um, pois há uma incompatibilidade de impedância na saída. Se você quiser combinar vários sinais passivamente, os terminais de sinal devem ter um alto valor de resistência de carga (por exemplo, 1k ohms, embora o valor ótimo dependa do equipamento utilizado), embora seja preciso levar em conta que sendo uma soma passiva, o nível é perdido.




  • Ad